Go to Top

CIRCUITO DE ARTES VISUAIS INCLUI ARTISTAS COM FORMAÇÃO NO LICEU CLAUDIO SANTORO

ARTES VISUAIS| Realizado desde o dia 1º de setembro no Largo de São Sebastião e nos arredores do Teatro Amazonas, no Centro, o Circuito de Artes Visuais apresenta ao público local um pouco da produção artística de 70 artistas do cenário amazonense. Dentre os talentos envolvidos na iniciativa – que segue até o dia 1º de outubro, numa realização do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Cultura –, 13 deles tiveram, em sua trajetória artística, passagem pelo Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

Entre eles está Pablo Cunha, que cursou desenho artístico no Liceu desde 2016 e expõe obras baseadas na psicanálise e na sensibilidade do ser humano. O artista conta que sua noção de desenho, antes do curso, era básica, e as pinturas que desenvolvia eram baseadas apenas no sentimento que o impulsionava ao se expressar, mas não continham técnicas aperfeiçoadas. “Sou grato especialmente ao professor Chiquinho D’Almeida, com quem aprendi a usar as cores, materiais artísticos e também a teoria, o que ajuda a fundamentar meus desenhos”, explica.

Outra artista do Circuito com passagem pelo Liceu Claudio Santoro é Thaizis Isy, que cursou pintura e desenho na escola de artes em 2005 e 2006. Ela, que participa do Circuito com obras de graffiti, explica que a experiência no Liceu lhe acrescentou mais que a técnica, desenvolvendo sua expansão mental e sua vivência artística. “Fiz os cursos na adolescência, e foi quando decidi que o mundo das artes é o que quero para minha vida. A convivência com artistas que foram verdadeiros mestres me apresentou ao meio artístico e me abriu portas, por isso sou grata”, relata a artista.

O artista plástico Tito Carlos frequentou as aulas dos cursos livres, entre 1999 e 2005, e hoje participa do Circuito com obras abordando o regionalismo de uma forma abstraída e diferente do convencional. Para ele, estudar nos anos iniciais de atuação no Liceu contribuiu para a transformação de visão de mundo que o acompanha até hoje. E destaca: “Além disso, foi onde aprendi a fundamentar teoricamente meus trabalhos em arte contemporânea. Fomos ensinados sobre conhecimentos diversos que acrescentam em nossa atuação, como literatura, cinema, quadrinhos, e por aí vai”.

Além de Cunha, Isy e Tito, outros nomes do Circuito que têm o Liceu Claudio Santoro como parte de sua formação artística são Afrânio Santos, Bárbara Teófilo, Cinthia Louzada, Fabiano Barros, Jessé Araújo, Keila Serruya, Marcelo Ramos, Monik Ventilari, Polly D’Avila e Samantha Karlia.

Os trabalhos desses e de outros artistas do Circuito de Artes Visuais podem ser apreciados gratuitamente na Galeria do Largo e a Casa das Artes, onde estão sendo expostas as obras de Cunha e Tito; no Centro Cultural Palácio da Justiça e no Museu Casa Eduardo Ribeiro, sempre das 16h às 19h. Os tapumes ao redor na Santa Casa de Misericórdia de Manaus também fazem parte da série de mostras, como suporte para os grafitti de artistas urbanos incluídos na seleção, entre eles Thaizis Isy.


Oficina de graffiti –
 Ainda na programação que caminha para a reta final do Circuito, está a oficina “Stencil Graffiti”, que acontece de 28 a 30 de setembro, de 14h às 16h no Palacete Provincial, com o oficineiro Daniel Melim, artista de São Bernardo do Campo (SP) e referência no território da street art. O artista já realizou intervenções visuais em cidades do Brasil e do exterior, tendo ainda obras reunidas em elogiadas exposições e em acervos como o da Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Foto: Wander Luis

Serviço: Circuito de Artes Visuais

Locais: Galeria do Largo e Casa das Artes, no Largo de São Sebastião; Centro Cultural Palácio da Justiça, na avenida Eduardo Ribeiro, 901; Museu Casa Eduardo Ribeiro, na rua José Clemente, 322; e tapumes no entorno da Santa Casa de Misericórdia de Manaus, na rua 10 de Julho, Centro

Período: De 1º de setembro a 1º de outubro, sempre das 16h às 21h

Entrada: Gratuita

Informações: (92) 3631-3632

Comentário

Comentário

%d blogueiros gostam disto: