Go to Top

CLASSE ARTÍSTICA COMPARECE EM PESO PARA REUNIÃO COM SECRETÁRIO DENILSON NOVO

CULTURA│ “Faremos uma gestão cultural histórica no Amazonas, pois esta gestão será feita por todos nós.” Com esta frase o Secretário de Estado de Cultura, Denilson Novo, buscou apoio dos artistas, mostrando a abertura e o relacionamento estreito que pretende ter com a classe artística que compareceu ampla e abastadamente, na manhã desta terça-feira (07/11), no auditório do Palacete Provincial, para a reunião que marca o início dos novos rumos da Gestão Pública Cultural no Estado do Amazonas.



Parceria, simplicidade, aproximação, transparência e ocupação. Com base nestes cinco pilares, o titular da SEC – Secretaria de Estado de Cultura, apresentou as propostas desta gestão.

Quase 400 artistas, de diversos segmentos, como artes plásticas e visuais, teatro, música, literatura e dança, cultura indígena, artesanato, gastronomia, folclore, cultura popular, arte circense, desenho, grafite, mídias digitais, fotografia, produção cultural, cinema, cultura étnica, entre outros, participaram do encontro.



O secretário apresentou projetos como a reimplantação do Conselho Estadual de Cultura, no qual representantes de diferentes segmentos poderão participar de decisões sobre futuros projetos artísticos do Estado; e a realização do programa “Espaço Aberto”, que permite a ocupação dos espaços da secretaria.

Para Denilson Novo, a reunião também proporcionou uma aproximação com a classe artística e o esclarecimento de alguns questionamentos dos grupos.

“Nós apresentamos a proposta dessa gestão com os cinco pilares e, além disso, ouvimos melhor os questionamentos da classe artística neste primeiro encontro, de muitos, para que possamos afinar os interesses e melhor atender a classe, dentro do que é possível”, afirmou o secretário.

O compositor, produtor cultural e gestor de mídias Wagner Alan Moreira avaliou a reunião como uma iniciativa de suma importância para que os artistas possam estabelecer uma relação com a SEC.



“O grande número de artistas que compareceram neste encontro é surpreendente, fato este que só vem corroborar com os anseios da classe que quer ser ouvida, e que de uma forma ou de outra, que ser apoiada pela principal órgão de Gestão Pública Cultural no Amazonas, que através deste feliz encontro mostra a disposição em estabelecer o principal mecanismo da promoção e fomento da Cultura, o diálogo.”

Espaço Aberto – Durante o encontro, também foram discutidas possíveis parcerias entre a secretaria e a classe artística, por meio do programa ‘Espaço Aberto’, política de ocupação dos centros culturais, teatros e centros de convivência pertencentes à Secretaria.

“Estamos convidando toda a classe artística e produtora de cultura a apresentar propostas de ocupação para utilizarmos todo o espaço disponível dentro da secretaria”, contou.

No programa, artistas poderão enviar seus projetos até o dia 9 de novembro, quinta-feira, pelo e-mail: ocupacaoespacoaberto@gmail.com ou deixar em pontos de entrega como a Secretaria de Estado de Cultura (Avenida Sete de Setembro, 1.546, Centro, anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro); Centro Cultural Povos da Amazônia (Praça Francisco Pereira da Silva, antiga Bola da Suframa); Centro Cultural Palácio da Justiça (Avenida Eduardo Ribeiro, 901 – Centro); Sambódromo (Av. Pedro Teixeira, 2565 – Flores); Usina Chaminé (Av. Manaus Moderna s/n – Centro) e Teatro da Instalação (Rua Frei José dos Inocentes, s/n – Centro).

Cadastro Online – Com o objetivo de mapear as classes artísticas, na reunião, também foram apresentadas propostas de um cadastro online, que poderá ser feito no Portal da Cultura.

A ideia do projeto é facilitar a inclusão de artistas em editais de apresentações e também em festivais. A proposta de criar um cadastro online ainda está em desenvolvimento e promete facilitar o mapeamento de artistas da capital e do interior do Estado.

Fotos: Yghor Palhano/ Cultura Amazônica

Comentário

Comentário

%d blogueiros gostam disto: